domingo, 17 de outubro de 2010

Um pouco de alma

Como a chuva deu um banho ontem no show da Zélia em Pirenópolis, hoje o post é de uma música que eu identifico muito e que fez a galera sair do chão em meio ao temporal. O cabelo não durou nada, mas lavamos a alma para o resto do mês.. e a energia que rolou, ah essa foi indescritível.


Muitas perguntas
Que afundas de respostas
Não afastam minhas dúvidas
Me afogo longe de mim
Não me salvo
Porque não me acho
Não me acalmo
Porque não me vejo
Percebo até
Mas desaconselho...

Espero a chuva cair
Na minha casa, no meu rosto
Nas minhas costas largas
Eh! Eh! Eh!
Espero a chuva cair
Nas minhas costas largas
Que afagas enquanto durmo
Enquanto durmo
Enquanto durmo...

De longe parece mais fácil
Frágil é se aproximar
Mas eu chego, eu cobro
Eu dobro teus conselhos
Não me salvo
Porque não me acho
Não me acalmo
Porque não me vejo
Percebo até
Mas desaconselho...